Meu primeiro selo

Meu primeiro selo
mimo do meu amigo Carlos

domingo, 30 de março de 2014

Preparação

                          Fátima Irene Pinto

Se é verdade que as vicissitudes nos visitam inesperadamente caindo feito guilhotina sobre nossas cabeças, separando-nos abruptamente de tudo o que amávamos e que dava sentido às nossas vidas, também é verdade que somos visitados por golpes de sorte benfazejos que nos trazem realizações surpreendentes com as quais jamais havíamos sonhado.


Se é verdade que passamos longos períodos numa espécie de torpor, sem saber o que fazer e para onde ir, também é verdade que atravessamos fases plenas de motivação, de lucidez, trazendo à tona todo o nosso potencial, realizando grandes coisas em prol de nós mesmos e do mundo que nos cerca.

Se é verdade que conhecemos o valor amargo das derrotas, das humilhações, das perdas, das desilusões e até mesmo a derrocada do amor e do respeito que tínhamos por nós mesmos, também é verdade que todos nós já conhecemos o sabor da vitória, do reconhecimento, das afeições retribuídas, da auto-estima e do auto-respeito em níveis saudáveis.

Se é verdade que neste exato momento há milhares de pessoas chorando uma grande dor, também é verdade que há milhares de pessoas comemorando e recebendo medalhas de alegria no grande "pódium" da vida.

Se é verdade que o mal grassa solto por aí expresso nas mais diversas formas, também é verdade que o Bem se propaga na mesma intensidade, talvez não muito evidente e mais silencioso porque uma das características do Bem, é o de ser humilde e o de não fazer-se notar.

Se é verdade que políticos indígnos e perversos acreditam apenas na vitória do próprio ventre, subvertendo a ética, calando esperanças, aniquilando ideais, vendendo a alma ao diabo na ganância cega e enlouquecida que os faz esquecerem completamente a lei do retorno, também é verdade que dentre eles há homens de bem, que não traem a si próprios, não traem a Pátria nem enganam o povo que os elegeu.

Se é verdade que milhares de irmãozinhos menos favorecidos ainda passam fome e frio esquecidos nas ruas, nos asilos, nos orfanatos, também é verdade que milhares de pessoas, tantas vezes anônimas, saem em sua defesa levando-lhes o alimento, o agasalho, a visita amorosa que lhes devolve a confiança em Deus, na vida e em si mesmos.

Neste exato momento há legiões de anjos humanos anônimos semeando o Bem discretamente, sem nenhum alarde.

É um juíz batendo o martelo e fazendo justiça a um inocente.
É um médico salvando uma vida sem cobrar por isto.
É um cidadão simples repartindo seu almoço.

É alguém adotando uma criança.
É alguém socorrendo um animalzinho doente.
É alguém abrindo uma oportunidade de trabalho a um ex-presidiário.

É alguém doando um órgão.
É alguém levando música e alegria a um hospital de crianças cancerosas.
É alguém ensinando aquilo que sabe, em trabalho voluntário.
É alguém, desde já, separando algum dinheiro para cestas e presentes de natais aos pobrezinhos.

Com certeza, todos estes anjos humanos só puderam despertar porque conheceram muito de perto os grandes sofrimentos e as grandes dores da vida.

Qual árvores que sucumbiram a rigoroso e prolongado inverno, agora se enchem de folhas verdes e tenras para celebrar o grande milagre da vida, com novas flores e novos frutos que serão amorosamente partilhados

Portanto, não lamente nem maldiga a sua dor.
Você, na verdade, foi especialmente chamado e escolhido.
Você está sendo preparado para tornar-se um anjo humano que, aliado a milhares de tantos outros, fará a grande diferença na construção de um mundo bem melhor para si e para todos, até que Papai do Céu o chame para ser um Anjo no "andar de cima".

                                                        Saudades meu anjo...

quarta-feira, 19 de março de 2014

O Tamanho da Dor


Eu sei o tamanho da sua dor.
Imagino o quanto te custa levantar a cabeça, sair de casa.
Até respirar parece uma tortura.
A dor no peito parece indicar o fim da vida que nunca chega.
Em sua cabeça, o que importa é quem te fez sofrer. Você não aceita a situação atual.
Não é justo o que fizeram com você.

Falar é fácil, e fica todo mundo te enchendo com as mesmas frases:
"Você precisa reagir"! ."Você precisa reagir"! "Você precisa reagir"!
"Você precisa ser forte". "Você precisa ser forte". "Você precisa ser forte".
"Esquece isso." "Esquece isso." "Esquece isso."
Sabe que isso já tá doendo nos ouvidos? Será que os outros pensam que é fácil passar pelo que você está passando?
Será que eles pensam que é só querer e tudo está resolvido?
Como esquecer o passado, se o passado para você é o seu hoje...é o seu presente?
Se para você as lembranças daquele dia, quando você sofreu a "grande perda  da sua vida", estão tão vivas, mas tão vivas que parece que tudo está acontecendo agora.
Tá vendo, foi só lembrar e você já começa a chorar, de tão forte que é a dor.

É, realmente eu sei qual é o tamanho da sua dor, e não acho justo que as pessoas fiquem tentando julgar o seu sofrimento, a sua situação.
Cada um de nós sabe exatamente onde a dor é mais forte. Cada momento que vivemos é registrado em nossa mente como "um arquivo fotográfico".
Quando precisamos identificar alguma coisa buscamos nos nossos "arquivos mentais" a foto correspondente ao que buscamos entender.
Se alguém fala em "uvas", você não precisa ver as uvas para saber o que são; dentro do seu "arquivo" tem uma foto de uva e você manda buscar essa foto instantaneamente. É um processo natural.

Quando te falam de algo que você não conhece, você precisa ver ou viver a situação para colocar essa foto no seu arquivo.
Pois bem, nos seus arquivos, existem diversas fotos de felicidade. Diversas fotos de momentos em que você sorria. Fotos de momentos especiais nos quais os amigos estavam presentes, a família, e outras, onde você estava muito bem.

O exercício é esse: mande buscar essas fotos no seu cérebro. Reveja cada momento feliz e guarde, registre, capture esse sorriso, essa paz, esse "calorzinho" gostoso que sentimos quando estamos felizes.
Vá revendo as fotos da felicidade que estão armazenadas em você mesma. Não deixe que outras fotos "escuras" entrem no seu álbum.

Segure em sua mente essas fotos de felicidade e saia dessa dor mais facilmente!.
Não quero te falar as mesmas velhas frases que todo mundo já te falou. Você sabe o que é preciso fazer.
Não é fácil, eu sei que não é. Toda batalha é dolorosa. Toda doença deixa marcas, e a dor é uma grande doença. Pior ainda se ela for a dor de uma paixão, porque é uma dor invisível e sem remédios farmacêuticos.

Para todas as doenças existem remédios, que curam ou amenizam a dor. Para a dor do amor, só o tempo, a sua vontade de viver e um novo amor para apagar.

A nossa grande vantagem como seres "racionais" é que nós podemos criar o nosso álbum de fotografias do jeito que nós queremos. Monte um novo álbum para a sua vida. Coloque nele apenas as fotos que te fazem bem e espalhe ao vento as fotos que te fazem sofrer.
Paulo Roberto Gaefke
                                                          3 anos e 1 mes 

Ramon você faz parte do meu passado, do meu presente  e do meu futuro.Te  amo para sempre 
                                                                       Mãe
                                                 
                                               

segunda-feira, 10 de março de 2014

Lá Onde a Vista não Alcança

                                                Silvio Dutra

Olhos que não podem ver
além da linha do horizonte,
como poderiam ver
o que está muito mais longe?

Longe dos olhos de carne,
mas perto do coração.
Longe, não por distância de espaço,
mas longe por estado, por condição.

E não se trata  de usar a imaginação,
porque é real, ainda que não palpável,
algo que não pertence a esta criação.

Realmente é quase inacreditável,
que não se instigue  a investigação.

Quem procura acha,
quem pede recebe,
e para quem bate à porta,
ela se abrirá.

E o distante fica mais perto,
do que tudo o mais,
que a vista possa alcançar.

Silvio Dutra
 
                         Ramon Te Amo!!